quinta-feira, 30 de janeiro de 2014

Para ti que me ouves nos sonhos

Na míriade noite dos nossos desejos
somos como dois pássaros
unidos no céu por um fio
que se cruza em teu olhar
em véu vazio

E nos faz suspirar
remetendo ao nosso pesar
contíguo

E quando a brisa
é mais densa que o sol
quando a lua se afasta
do seu normal reflexo
para cindir em sua lágrima
ao frágil destino de nós dois
somos um só coração
repleto de admiração 
cândido e selecto pelos dias

E assim perdidos em olhares
que cingem ao céu e vêm
somos dois pássaros
em nocturno destino
repletos de nossas emoções
Para eles cindimos nossos afectos
cruzando o mar e a terra
em sua desolação

Vêm meu Amor
que eu espero por ti