quarta-feira, 25 de setembro de 2013

Jasmim



Queria da dor clamar pelo teu nome
Tu que vens de um céu de cravos abençoada
Pétalas de rosa num jardim de jasmim
Onde só tu vives a alcançar
A paz à minha alma

Queria poder ver para além desse véu sem cor
Traço fino da linha inacabada
Que o espírito expulsa do sangue em dor
Para retomar ao mundo de que é feito

Retomas no teu ar de verão
Silencias a paz na madrugada
Com a tua aura que cria o dia 
Apesar de ser ainda noite cerrada