quinta-feira, 26 de setembro de 2013

Sombra



Sombra fugaz que surges nos meus sonhos
Perdida de ti
Para te encontrares em mim

Duvidas dos teus traços
Crias embaraços
Mas consomes-te no meu ardor

Alimentas-te da minha ferida
Que para ti é vida
E para mim apenas solidão

Brotas dos cânticos dos céus
Ouço-te a ti por Deus
Perdida assim

E quando te encontras em mim
Foi tarde para ti
que eu já  não volto

Perdido em mim
Parti sem fim
onde não me possas encontrar