sábado, 8 de março de 2014

Apenas um pouco tarde

Poema: Apenas um pouco tarde

É tarde, é apenas um pouco tarde amor,
que as rimas se fazem com o suor
dos dias, que passam
sob o nosso olhar em lágrimas

E nessas deambulações
parecemos ser outros actores
que se cingem a um papel
de murmurios vãos

Mas se for só assim,
meras quesílias do coração
talvez o espírito se acomode
a outros corpos

Venham à procura
da mera cordialidade
quando a vida tiver sentido
e apenas seja um pouco tarde.