terça-feira, 4 de março de 2014

De quem é

Quem é este adormecido
que parece viver dentro de mim
que tem vontade própria

De quem são estas palavras
que surgem do nada
na minha expiação

De quem é esta letra
de caracteres transvestidos
que parecem migrar fora de mim

De quem são estas lágrimas
que percorrem a ilusão
de um olhar morto

De quem é esta vida
que imersa despedida
me embaraça os sentidos

E tu de quem és
que perteces ao desconhecido
que é apenas solidão

De quem é o que foi
e o que será
de uma terna despedida

De quem é a saudade
de uma alma combalida
da fogueira de crença