sexta-feira, 7 de março de 2014

Nunca te amei assim

Poema: Nunca te amei assim; Manuel Marques;

Nunca amarei assim,
de canduras irresolutas se faz o meu amor,
com espinhos que rasgam a garganta
quando o tento dizer-te

E tu que surges nos meus sonhos
se depreendem deles meras imagens
de um coração perdido num bosque
á procura que o encontrem

Nunca te amei assim meu amor,
tu que eras uma mera desconhecida
que surgias no solsticio
de uma tarde amanhecida

E se fossem apenas deambulações
malditas de quem querer
podiam ser agora certezas
de um amor a amadurecer

E por isso te digo
que amar-te-ei até ao fim
tu que surges marcada
de um terno amor por mim

E sei-o porque sei
da tua alma estar enamorado
de te perceber o sentido
neste meu grito rasgado.