sexta-feira, 7 de março de 2014

Teu amor

Meu amor,
procurei-te na noite
em que eras apenas uma sombra
imersa na solidão

e quando te vi
pedi-te para que me olhasses nos olhos
e sentisses o poema
no meu olhar

que brilhando
se imiscuia de pranto
para saudar o teu
beijo terno.

Meu amor
quantas vezes te procuro de noite
naquelas em que me sinto percorrer
de ausencia em mim

que sinto que existe em ti
um tratado
que me leva a ser teu convidado
nas noites de terna solidão

Mas sei que estarás
sempre ai à minha espera
tal quimera que em pranto
se molda em meu coração.