quarta-feira, 5 de março de 2014

Voz

Poema: Voz

Queria brindar com a voz
o solsticio de teu olhar
que imerge sobre meus olhos
de uma candura argaz

E à medida que a tua boca
vem ao meu encontro
a nossa alma
partilha desse momento

Em que os astros se agitam
e os nossos corpos são constelações
de um universo
tão brilhante como o nosso

E no momento
em que nosso olhar se cruza
somos vento, somos chuva
de um qualquer firmamento.