terça-feira, 4 de março de 2014

Reencarnação

Oh estranha sabedoria,
ninguem morre
a alma nunca finda

Estamos ligados por um elo
num fluxo de vida constante
que nos faz regressar

E temo por não o compreenderes
porque nada mais simples existe
do que isso

A alma regressa a um corpo
que um dia será devorado
pelas larvas

Mas ela regressa sempre
e com ela traz
as belas recordações

E vida após vida
somos um só
uno com o universo

Imersos num sonho
que nos incide na alma
tal pensamento transvestido

Que nos ilude
e nos faz pensar
que a morte é o fim

Mas não é meus caros
é apenas o inicio
de algo grandioso

Por isso celebremo-la
com louvor
ao seu regresso à vida