sexta-feira, 7 de março de 2014

Rio

Poema: Rio

Ás vezes
sonho que percorro o rio
das ilusões

E quando imerso nele
todo o meu ser se desconjuga
como se o corpo
desaparece-se na eternidade

Oh mágoas esquecidas
do meu coração
palavras enfindas
de só desolação

E quando nesse rio
imerjo
sou uma alma perdida
no curso da vida

Que corre para o leito
de uma memória
esquecida