terça-feira, 8 de outubro de 2013

Balançar

o teu olhar 
repleto de silêncio

e tuas mãos
incertas em meu corpo

como uma chama
de uma vela

o teu olhar
repleto de silêncio

tal como pérolas
de um mar azul

ferem os meus
de caricia em meu corpo

com a alma a palpitar
do encontro dos corpos

somos nós dois
tu e eu

imersos no balançar
do mar de teus olhos

imerso numa maré
que nos faz levitar

e os corpos 
recolhem perdidos

no balançar ténue
a lua no céu

em cima de um campo
de areia molhada

e somos nós dois
tu e eu, unos

fundindo-nos em 
ternura e amor