quarta-feira, 30 de outubro de 2013

Meu amor

O meu amor surge-me nos sonhos,
com a mesma certeza de me amar
com que cobre as minhas dúvidas.

Traz consigo a melancolia 
das palavras simples
e leva com ele a tristeza 
das tardes absolutas.

Em que nos braços um do outro
nos mergulhavamos em furor
para entender que já 
não havia dor.

No meio da tristeza 
ela desvanece-se
e apenas resta a esperança 
de um beijo breve.

Que o meu amor vem de mansinho
e traz consigo pétalas em seus dedos
com que há-de celebrar o nosso enlace.

Não faz mal
assim espero que com sua voz
me possa relembrar de nós
que somos só um

A mesma parte do mesmo signo
a mesma arte de um designio
que nem nós podemos compreender.