terça-feira, 8 de outubro de 2013

Infinito

Chamo até ti
o lugar das estrelas
onde o infinito se revela
para que percebas
que o vazio a que te entregas
é tão puro como o espaço

Desse nada que é tudo
entendes que é o absoluto
que há em ti

Somos universos constelados
no abismo que é o nosso
próprio corpo
e a ele nos entregamos quando a memória
assim nos faz humanos

Tenta perceber que não há
nada a entender
apenas espasmos contínuos
que é o que em nós vive e respira

Por essa via
assim tomamos consciência
do que somos e para onde vamos
repleto em nossos sonhos.