domingo, 20 de outubro de 2013

Rosto

Na linha do teu rosto
que demonstrava desgosto
pode ver o pensamento
e o teu discernimento.
Imaculado
entendias o que havia a entender
para mais tarde aferires
o que havia a perder.
E era tão pouco
que a tua alma ripostou
e cega falou
que nada havia a compreender.
Apenas ser
era o que querias
e dentro do teu ser
florir.
Com belas pétalas em teus olhos,
decorada com as mais belas folhas,
que te cresciam nos braços,
em direcção ao céu.
Assim, fora do teu véu
pode-te ver florida,
e despida
para meu contentamento.