terça-feira, 8 de outubro de 2013

Procuro-te

Procuro-te
no terno da noite
quando me sinto sozinho
e a solidão é mais forte
do que se pode suportar

Procuro-te
na orla da saudade
quando já é tarde
para que te possa 
procurar

Procuro-te
na minha despedida
e a ti confesso o que 
a vida permite
confessar

Procuro-te
na orla do mistério
quando a vida me traz
a certeza de um teu
olhar

Procuro-te
nas manhas submersar
quando o teu nome 
é proferido
nas águas

Procuro-te
na ternura das palavras
quando a saudade
afaga o triste coração

Procuro-te
na minha companhia
para que possas um dia
procurar-me também

Procuro-te 
nas ermas e nos bosques
onde te escondes
e foges para dentro de ti

Procuro-te
antes que a morte
venha e te leve
para bem longe de mim

Procuro-te...