quinta-feira, 17 de outubro de 2013

Silêncio

Trago-te o silêncio
envolto em minhas mãos
tão perto de ti
como perto de mim
para que possas reflectir
no que me queres pedir.
Pedes-me o amor
numa bandeja de cor.
Questiono se o silêncio 
te abrirá o coração
para depois te depositar
o meu amor.
Mas falas-me em falácias
e como ele está fechado.
Nem a luz crepuscular
que o tenta abrir, 
assim o consegue.
Por isso,
trago-te o silêncio
envolto em minhas mãos
que te envolva num abraço.
Só assim poderá libertar
todo o meu amor,
com toda a sua cor.