segunda-feira, 7 de outubro de 2013

Véu

Vulto véu que me abandonas
nesta triste confissão
que partes envolto
nessa tua sedução

Escondes olhar de mulher
que vêm à procura de vida
um abrigo onde morar
uma alma a quem amar

Trazes contigo a palavra
de uma esfinge abandonada
que é terra e céu
imersa nesse teu véu

E o beijo com que saúdas
esse teu terno poeta
é a alma encoberta
do seu triste sonhar