terça-feira, 15 de outubro de 2013

Chamar-te



Deixa-me chamar pelo teu nome
em dias de noite escura
para que assim me sinta protegido
desta minha amargura

E se de repente
me ouvires chamar
vem depressa
para me salvar

são as sombras que me instigam
e procuram devorar
aparecem junto à madrugada
e não há modo de as parar

silenciosas vêm com a noite
procurando a minha alma
com o sangue que pulsa
do meu coração assustado